Inscreva-se no Feed do Pensar Eco e receba os posts por email!

www.pensareco.com

sexta-feira, 5 de junho de 2020

Dia do Meio Ambiente... motivos para comemorar?







Cada ano, quando se aproxima a Semana do Meio Ambiente, penso e compartilho  a seguinte reflexão: 

"Temos algo para comemorar?"

Esta reflexão se repete há anos, e minha resposta é sempre negativa mas este ano se superou, pois acompanhamos notícias cada vez mais tristes e catastróficas sobre as ações antrópicas no Brasil e mundo em relação ao meio ambiente

Este pessimismo piora ao ter que engolir um governo com pessoas que se aproveitam do momento atípico de uma pandemia com milhares de mortes para acelerar o desmatamento de nossas florestas, burlando as leis ambientais para favorecer madeireiros, mineradores, pecuaristas e o agronegócio, acabando com territórios indígenas, quilombolas e destruindo a biodiversidade de biomas extremamente importantes para o equilíbrio do planeta e para a NOSSA SOBREVIVÊNCIA!  

Cada vez temos mais certeza que as consequências das mudanças climáticas, como: alterações do clima, do regime pluvial e aumento de doenças, como dengue, febre amarela, etc, até o aparecimento de pandemias como a do novo coronavírus serão cada vez mais frequentes e catastróficas. 

Estamos passando por um momento caótico e difícil em todos os sentidos,  parece que , ou sei lá, estamos mesmo fora do eixo, e nada parece normal. E esta situação anormal de isolamento social, insegurança com o amanhã, e brigas políticas para mostrar que lado é o menos pior,  nos deprime, nos revolta e nos torna paralisados. 

Para piorar o meu descontentamento tenho acompanhado discussões desrespeitosas entre ambientalistas nas redes sociais defendendo este atual governo, usando  como argumento que os governos passados foram bem piores que o atual (é possível isso??)  

Essa defesa já era revoltante na época das eleições, já que o candidato não mostrava interesse nenhum na área ambiental, mas agora depois de tudo continuarem na defesa para mim é algo incabível e revoltante.

Bem, cada ambientalista, ou pseudo ambientalista deve saber o que defender, e ainda bem, a maioria pensa como eu, sendo contra este retrocesso ambiental.



Espero que ano que vem tenhamos motivos para comemorar este dia.. esperamos estar bem e saudáveis para podermos comemorar juntos fisicamente a vitória do bom senso. A esperança é a última que morre, não é mesmo?


Abaixo algumas poucas notícias que mostram que não temos motivos para comemorar: 


















Érica Sena
05/06/2020

quinta-feira, 4 de junho de 2020

Pensar Eco, presente!... O retorno!




Caros amigos e amigas,




por inúmeros motivos resolvi dar um tempo neste blog por duvidar se valeria a pena ou não continuar com esse trabalho, assim como se deveria continuar nesta área ou não. Acredito que esse meu desencanto foi fruto de uma frustração como educadora ambiental junto a uma sensação de impotência diante de tantas notícias ruins , além do medo de como ficaria o meio ambiente nesse governo atual (naquela época recém eleito). Ai, ai, realmente meu medo não foi a toa, já que hoje a situação é bem pior do que imaginei! Pensei até em acabar com o Pensar Eco, já que não via mais sentido em continuar com este espaço, não me alegrei nem em escrever uma matéria  em relação aos seus dez anos de vida no ano passado, triste isso!

Mas ultimamente senti uma vontade de voltar a me dedicar a ele juntamente com outras funções que fui acumulando em minha vida, como uma outra paixão: a área de terapia holística. Talvez vcs me vejam atuando nesses dois campos e achem estranho, mas porquê não abraçarmos inúmeras profissões de acordo com nossos sonhos, não é? Espero dar conta de tudo! Talvez o fato de mudar de estado, e viver perto de uma bela paisagem natural entre morros e praias do Rio de Janeiro me fez retornar a este trabalho.

Retornar num momento crítico como o atual não é fácil... estamos no olho do furacão!  É um momento amedrontador, mas ao mesmo tempo de harmonia, principalmente para a natureza que  se aproveita do nosso confinamento para se mostrar e se limpar.  Agora temos tempo, algo que nos faltava, para lermos, estarmos em casa acompanhados ou sozinhos, meditarmos, pintarmos, bordarmos, dormirmos, enfim, refletirmos sobre nossa vida, nossas ações e como interferimos no sistema em que vivemos. Momento ideal para voltarmos ao nosso interior, buscar nossa origem e olharmos para o externo com mais respeito e amor. Infelizmente muitos não tem aproveitado esse tempo para se recolher e se proteger, mas sim para quebrar regras, para discutir assuntos sérios sobre o olhar de um líder ou de uma ideologia perversa com fanatismo. Estamos doentes do corpo e da mente, e muitos não têm notado que ao seguir um líder irresponsável vão de contra ao equilíbrio de uma sociedade,  assim como do planeta, já que tudo está interligado.

Só nos cabe pedir desculpas e misericórdia à GAIA , lembrando a ela o quanto somos pequenos, frágeis e despreparados em comparação a ela, e que ela nos dê uma chance de habitar neste planeta para continuarmos nessa missão de conscientizar, educar, formar e agir com finalidade de alcançar a sustentabilidade tão sonhada que atualmente nos parece utópica.

Enquanto os bois passam e os homens desrespeitam leis ambientais visando dinheiro e poder, vidas  de diversas espécies, incluindo a HUMANA são ceifadas sem nenhum pesar e respeito dos nossos representantes e seu simpatizantes! Até quando assistiremos isso com tristeza e revolta, enquanto a maioria num estado de normose acha que tudo está dentro de uma ordem! Até que ponto  EU, VC, estamos num estado de normose, anestesiados, acuados com medo do futuro???

 Ainda achamos que o SER HUMANO é a espécie principal e independente das demais... que pena não aprendemos que somos apenas uma peça desse tabuleiro chamado de ecossistema, onde tudo e todos estão conectados e essa desconexão com a natureza nos enfraquece e nos expõe em situações desesperadoras como a pandemia de COVID- 19 atualmente, mostrando o quanto somos fracos, vulneráveis  e reféns de seres muito menores do que nós como os vírus e bactérias causadores de doenças.

Sempre foi dito que as mudanças climáticas trariam o aparecimento de muitas doenças, mas como sempre pagamos para ver! Agora te pergunto:
 E agora, José? 
Ou melhor: E AGORA JAIR?

Já que o futuro é incerto, bora construir o presente com mais harmonia, respeito a todos os seres vivos, começando pela nossa espécie Homo sapiens, independente da cor da pele, da religião, da classe social e da ideologia!

#BoraLá
#MeioAmbientePreservadoAcimaDeTudo
#PensarEco11Anos
#PensarEcoAntifacista
#EducaçãoAmbientalJa
#SaiaDaNormose
#SemanaDoMeioAmbiente


Érica Sena 
03/04 de junho de 2020




sábado, 22 de setembro de 2018

Vamos falar sobre resíduos sólidos em Pqs Municipais de SP?

Eu, Érica Sena e Carolina Moro no Pq Severo Gomes- 22/09/18

Desde setembro venho coordenando um Projeto idealizado por mim, dentro da UMAPAZ/SVMA chamado Falando sobre resíduos sólidos em Parques Municipais.
Diante as demandas dos administradores dos parques nesta primeira fase foram escolhidos 10 Parques:
Parque da Luz 
Parque Trianon
Parque Prefeito Mario Covas
Parque Severo Gomes
Parque São Domingos
Parque Cordeiro
Parque Santo Dias
Parque Buenos Aires
Parque do Trote
Parque do Carmo
    Eu juntamente com profissionais super competentes: Carolina Moro e Anselmo Bonfim estaremos  a frente como os  facilitadores destes encontros.

    Saiba um pouco mais: 
    Falando Sobre Resíduos Sólidos nos parques municipais
    Os parques municipais urbanos são áreas verdes que podem trazer qualidade de vida para a população do seu entorno, já que proporcionam contato com a natureza e suas estruturas, sendo espaços apropriados para a realização de atividades físicas, de lazer e outros. Além de funções pedagógicas das mais variadas temáticas.
    Diante do crescimento desordenado das grandes cidades e da existência de poucas áreas verdes por habitante, os parques municipais têm uma importância socioambiental cada vez maior pelos serviços ambientais que oferecem, entre outros, a possibilidade de estimular a discussão sobre a gestão de resíduos sólidos.
    Neste contexto, este projeto busca trabalhar, de maneira teórica e prática, o diagnóstico e soluções possíveis para a diminuição e destinação adequada dos resíduos sólidos urbanos.
    O projeto será dividido em três encontros de 3 horas cada com o seguinte conteúdo:
    1º Encontro: Politica Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS (3 horas)
    1.1. Visão geral da PNRS
    1.2. Responsabilidade Compartilhada e Logística reversa 
    1.3. Importância desta Lei na gestão de resíduos sólidos urbano.
    Encontro: Educação ambiental dentro do consumo (3 horas)
    2.1. Consumismo e suas consequências 
    2.2. 5 R´s do Consumo Consciente
    3º Encontro: Compostagem (3 horas) *
    3.1. Conceito 
    3.2. Oficina de compostagem caseira.
     Material necessário para este encontro:
    • Duas ou três garrafas de pet do mesmo modelo;
    • Tesoura com ponta ou estilete para cortar as garrafas e furar o fundo;
    • Fita crepe para juntar as peças;
    • 1 saco para descartar as sobras.
    *Coordenado por Vicente Prado- UMAPAZ
    Facilitação: Anselmo Bonfim


    Facilitação:
    Carolina Moro - Bacharel em Direito. Doutoranda em Ciência Ambiental pelo PROCAM/USP. Mestre em Direito Civil.
    Érica Regina de Sena Silva - graduada em Ciências biológicas e Gestão Ambiental, especialista em Tecnologia Ambiental, educadora ambiental e Coordenadora de projetos de Educação Ambiental da UMAPAZ-4
    Anselmo Bonfim - graduado em gestão ambiental e licenciatura em ciências. (Oficina de compostagem caseira)
    Coordenação: Érica Regina de Sena Silva
    OBS: As inscrições serão para cada encontro, podendo ser feita pelo site ou na hora. 
    Os banners abaixo mostram as datas e horários em cada parque.










    Te espero lá!
    Vc pode assistir os encontros em vários parques!
    #UMAPAZ
    #GestãoDeResíduosSólidos
    #EdAmb

    Érica Sena
    contato: ericasilva@prefeitura.sp.gov.br
    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...